Tecnologia

WhatsApp enfim prepara função para impedir que conta seja roubada

Publicados

Tecnologia

WhatsApp cria nova ferramenta de segurança
Unsplash/Mourizal Zativa

WhatsApp cria nova ferramenta de segurança

Os golpes para roubar contas do WhatsApp podem estar com os dias contados. A equipe do mensageiro está preparando uma opção para impedir que a linha seja tomada depois que o usuário oferece o código de seis dígitos enviado via SMS a criminosos depois de receber uma oferta falsa. É o que conta o WABetaInfo.

O recurso deu as caras na versão 2.22.17.22 do WhatsApp Beta para Android. Trata-se de uma notificação para aprovar a transferência da conta para um smartphone diferente, caso alguém solicite a migração em outro aparelho. Assim, será possível impedir que o número seja roubado por golpistas.

O alerta vai aparecer no celular conectado à conta logo após a solicitação da troca. Quando alguém digitar o código de seis dígitos para comprovar a autenticação, o app irá emitir a notificação “Permitir mover sua conta do WhatsApp para outro telefone?”. Em seguida, haverá opções para confirmar ou recusar a transferência.

O aviso ainda dá detalhes extras sobre o processo. Além da hora do pedido, será possível saber o modelo do aparelho usado para receber a conta. Assim, caso a mudança seja legítima e não fruto de um golpe, o usuário também consegue saber se a transferência está sendo realizada de fato para o seu novo smartphone.

Leia Também:  Mais de 100 milhões de celulares da Samsung ficaram expostos por anos

WhatsApp: função pode impedir roubo de contas

O recurso é bem simples, mas tende a dar muitos frutos. Afinal, golpistas se aproveitam de contas que não usam a autenticação em duas etapas para tomá-las à força. E boa parte desses golpes estão relacionados a “ofertas” vantajosas às vítimas, como promoções, sorteios, entre outros.

Um exemplo foi quando golpistas usaram contas falsas do Instagram para oferecer alguma vantagem. Mas, após a solicitação de alguns dados pessoais, como o nome completo e número do celular, os criminosos pediam o código de seis dígitos do WhatsApp enviado por SMS.

E aí não tinha mais jeito: ao oferecer o código, a conta é invadida e os criminosos usam a linha para dar golpes em conhecidos da vítima.

Com a nova função, o mensageiro terá uma camada extra de proteção. Afinal, caso o código seja oferecido aos golpistas, a autenticação só terá sucesso se a vítima aprovar a migração no seu celular. E, caso o usuário toque em “Recusar”, os criminosos não terão acesso à conta, pois o processo será interrompido.

Leia Também:  Conta de luz: 195 mil famílias podem ter desconto, mas são esquecidas

A má notícia é que a função ainda não está disponível aos usuários. Todavia, você já pode garantir uma proteção extra à sua conta ao ativar a autenticação em duas etapas do WhatsApp. Neste caso, mesmo com o código em mãos, os golpistas vão precisar de uma senha para confirmar a autenticação durante a migração.

Fonte: IG TECNOLOGIA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Tecnologia

5G chega a Curitiba, Salvador e Goiânia nesta terça-feira

Publicados

em

5G é liberado em mais três capitais
Unsplash/Jakub Pabis

5G é liberado em mais três capitais

A partir desta terça-feira (16), mais três capitais – Curitiba (PR), Goiânia (GO) e Salvador (BA) – têm a ativação do 5G puro liberada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Com essas cidades, já são oito no país a contar com a nova geração de telefonia, após São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e João Pessoa.

Curitiba estreará a tecnologia com 316 antenas; Salvador com 139 estações rádio-base; e Goiânia com 100 antenas. De acordo com o cronograma inicial estabelecido pela Anatel, as operadoras devem colocar pelo menos uma estação para cada 100 mil habitantes.

Até o final de setembro, as cidades de Florianópolis (SC), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES) estarão aptas a receber o 5G , segundo a Anatel.

Já para as demais 15 capitais, o prazo máximo de ativação comercial foi prorrogado em 60 dias, ou seja, até 27 de novembro, por uma questão de “cautela e prudência”, de acordo com a Anatel. Porém, nada impede que nessas capitais o sinal seja liberado antes de novembro, caso o trabalho de instalação de antenas e filtros avance.

Leia Também:  WhatsApp cria opção para usar a conta em dois celulares ao mesmo tempo

A decisão de adiar o prazo máximo de entrada em operação do 5G foi tomada em reunião do Gaispi, grupo criado pela Anatel para cuidar da implantação da internet 5G na faixa de 3,5 gigahertz, que oferece maior velocidade, estabilidade e menor tempo de latência (resposta).

Essa faixa, porém, também é usada por antenas parabólicas e serviços de satélite. Para evitar interferência, as antenas estão sendo trocadas e também estão sendo aplicados filtros em alguns casos. Esses equipamentos, porém, atrasaram, o que fez a implementação do 5G também atrasar.

O prazo para a conexão estar disponível em todos os municípios brasileiros com mais 30 mil habitantes é só em 2029.

Como é o processo de ativação do 5G

Para ativar o 5G, as operadoras precisam instalar as antenas compatíveis com a tecnologia e filtros para evitar interferências com outras faixas de frequência. Também precisam iniciar a distribuição de kits de recepção do novo sinal das TVs parabólicas à população de baixa renda, que tem direito ao serviço.

Após concluírem a instalação de antenas e filtros, as operadoras comunicam o Gaispi, grupo criado pela Anatel para tratar da implantação do 5G. Na sequência, são feitos testes e, se não for verificado problema, o sinal é liberado.

Pelo edital do leilão do 5G, realizado em novembro do ano passado, todas as capitais do país deveriam contar com a tecnologia até o fim de setembro. Inicialmente, o prazo era até 31 de julho, mas, devido a dificuldades logísticas para importação de equipamentos, foi estendido em 60 dias. O prazo final foi novamente estendido em 60 dias para 27 de novembro.

Para ter acesso ao 5G, é preciso comprar um smartphone habilitado ao 5G. A quinta geração permite velocidade até cem vezes maior que a atual rede 4G e vai impulsionar a implantação de objetos conectados nas indústrias e dar fôlego a carros conectados, por exemplo.

Nas demais cidades brasileiras, o símbolo 5G que aparece nos telefones não é o 5G puro. É uma espécie de 4G “fingindo ser 5G” .


Fonte: IG TECNOLOGIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

RONDONÓPOLIS

POLÍTICA

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA